segunda-feira, 16 de maio de 2011

RESENHA DO LIVRO DE ERICH FROMM: TER OU SER? A importância da diferença entre ter e ser .

Ter é uma função normal de nossa vida. Para a existência humana é necessário que tenhamos e utilizemos certas coisas para a sobrevivência. Digamos que é uma necessidade existencial. Porém o que presenciamos atualmente são práticas que vão além do "ter para existência". Presenciamos uma ideologia consumista.

Erich Fromm acentua o quase desaparecimento da escolha entre ter e ser em uma sociedade em que se valoriza ter cada vez mais e só é reconhecido aquele que possui significativos bens de consumo, ou seja, " tem-se a impressão de que a própria essência de ser é ter, de que se alguém nada tem, não é"( p.35).

E essa não é uma discussão recente. Buda ensina que para se chegar ao mais elevado estágio  do desenvolvimento humano não devemos ansiar pelas posses. Jesus pregava: " pois quem quiser salvar a sua vida, perdê-la (LUCAS, 9:24-25). Já Eckhard ensina que ser nada é tornar-se aberto para conseguir riqueza espiritual. Para Karl Marx, nosso ideal deve consistir em ser muito e não ter muito.

Antropólogos e psicanalistas também tendem a demonstrar que ter e ser são modos fundamentais de existência que determinam as diferenças entre caracteres dos indivíduos e caráter social. 

O sentimento de ter é característica da sociedade industrial ocidental, na qual o dinheiro, fama, poder são temas dominantes. Já sociedades menos alienadas que não foram afetadas pelas idéias modernas de progresso industrial, são menos afetadas pela ideologia do "ter". 

Pode-se observar que essas mudanças afetaram também a linguagem. As mudanças idiomáticas acarretaram mudanças de ênfase nos verbos "ter" e "ser", um crescente emprego de substantivos e decrescente emprego de verbos. Ao exprimir uma atividade emprega-se o "ter" relacionando-o com substantivo, emprego errôneo da língua, pois atividades não podem ser possuídas, somente vividas.

A expressão "ter" indica incorporação, posse e não esta relacionada ao modo de identidade existencial, mas nos hábitos lingüísticos da sociedade moderna, pois " os consumidores modernos se identificam com o ato de incorporação, eu sou aquilo que tenho e consumo"( p.45).

A ideologia do "ter mais" e "querer sempre mais" se expressa no consumo. Consumir é uma forma de "ter" no sentido de posse, considerada das mais importantes na atual sociedade, pois ao consumir  tem-se um alivio instantâneo da angústia, sentimento de vazio de identidade, impotência existencial e moral.

O homem atual, consumista, não se reconhece como transformador  e criador de sua realidade, digno de si mesmo para mudar a realidade sofrida em que se encontra, rodeado de conformismo e egoísmo. 
O crescimento da sociedade de consumo faz com que o homem aperfeiçoe técnicas de produção e tecnologias. E se esqueça do aperfeiçoamento do ser...


REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA


FROMM, E. A importância da diferença entre ter e ser. In:______. Ter ou Ser? 2. ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1977. cap. 1.






O vídeo-clip da banda musical SLIPKNOT  ilustra bem o tema discutido no texto.
Observe a relevância da arte popular como um movimento crítico:







REFERÊNCIA DO VÍDEO-CLIP



3 comentários:

  1. Interessantíssima "resenha";)
    Gostei imensamente daquio,
    abraço e sigo...

    ResponderExcluir
  2. Eu sempre achei que essa musica falasse de um amor platônico, de uma obsessão que ele sente mas que ele não quer que isso aconteça,fala de um amor pesado, pesado como a própria harmonia da musica.

    ResponderExcluir